Pigmentos

Para que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extrema importância o conhecimento da cor e sua utilização a cada tipo de pele. Você acompanhará a seguir um estudo detalhado sobre a teoria das cores e a forma adequada de aplicação para cada tom de pele.

 

Colorimetria é um processo utilizado para medir e analisar a composição de uma cor, processo este utilizado pela indústria na concepção e produção de pigmentos para pigmentação artificial permanente da pele, conhecida também como tatuagem, maquiagem definitiva, dermopigmentação e micropigmentação.

 

Os pigmentos para micropigmentação se dividem em duas categorias, inorgânicos e orgânicos:

 

Inorgânicos: são feitos a partir de matérias que não tem vida, como rochas, minérios, pedras (principalmente óxido de ferro), e por esse motivo, é um produto que pode ocasionar alergia em certas pessoas, embora não seja comum. Esse pigmento possui partículas maiores e apresenta aparência mais fosca. Sua fixação é um pouco mais difícil, e é indicado para iniciantes que ainda estão inseguros no desenvolvimento da técnica. Alguns especialistas preferem utilizá-lo na sobrancelha por causa da sua opacidade, trazendo um efeito mais natural para o design.

Orgânico: sintetizado em laboratórios e desenvolvido através da extração de elementos naturais de origem animal ou vegetal (madeira, papel, lã, plantas). É um pigmento que tem mais “vida”, brilho e partículas minúsculas, melhorando a fixação e a durabilidade na pele. Além disso, ele tem uma gama maior de cores, e por isso, é altamente utilizado na micropigmentação de lábios, devido aos seus tons vermelhos e alaranjados.